COMUNICADO DA CPN 05-11-2021

COMUNICADO DA CPN

05-11-2021

 

DURA LEX SED LEX – A LEI É DURA, MAS É A LEI!

 

O veredicto chegou.

Houve vitoriosos e derrotados a quem se escapou, ligeiro, o poder.

Quando se opta pelo ego em detrimento do comum, incorre-se em erros crassos. Narciso não foi apenas o reflexo espelhado em águas do drama da individualidade. Foi, também, revelador dos dramas individuais revelados a si mesmo e em si mesmo.

Como tantas vezes foi reiterado, um partido não tem um dono nem dois: tem filiados, tem gente que nele milita e que nele acredita como postulado das causas em que acredita. Qualquer um, dentro dessas premissas pode e deve ser elegível. Atente-se que, sempre, dentro dos limites dos estatutos que imperam e que são lei interna.

Muitos acreditaram ser proprietários do PURP. Muitos, na sua desmedida ambição, denegriram pessoas, filiados, membros de Direito do Partido. Muitos intentaram contra as mais básicas e elementares regras da Democracia: Respeito e Lealdade.

O veredicto chegou. O veredicto decidiu.

Não foram os órgãos internos do PURP, desrespeitados por algumas pessoas, foi o Tribunal Constitucional, num Plenário.

O PURP está de parabéns!

O PURP é um Partido da DEMOCRACIA!

De hoje em diante, a missão difícil de reerguer o PURP está nas mãos de novos órgãos. De órgãos que nada mais pretendem do que honrar as causas que subjazem à carta de princípios do Partido e juntar-lhe outras que vão surgindo todos os dias.

Prometemos trabalho, renovação, união e justiça.

Nada de importância vital para o PURP será decidido por uma ou duas pessoas. O PURP é um todo e TODOS decidirão a bem do seu futuro que se espera e deseja renovado, responsável e interventivo.

Desejamos que as ofensas e calúnias tenham terminado. Desejamos que os problemas internos sejam tratados internamente. Desejamos que as medidas a serem tomadas sejam justas e sem dúvidas para nenhum filiado.

Desejamos um novo PURP, com juventude e com gente mais experiente. Desejamos um Partido que represente todos os portugueses e que honre a cena política nacional.

O veredicto chegou: Não ganharam uma nem duas nem mais pessoas.

Ganhou o Partido.

PURP POR TODOS e PARA TODOS.

 

P’ Comissão Política Nacional

Fernando Loureiro

Paulino Ferreira

Pedro Pinho

Ana Pinheiro

Comunicado da CPN 25-09-2021

COMUNICADO

 

O Congresso foi soberano, porque feito de acordo com as regras estatutárias e regulamentos, e confirmou a vitória apesar das tentativas de impugnação e de descredibilização do mesmo. Assim entenderam os envolvidos na magna reunião e assim o entendeu o Tribunal Constitucional.

Quando se pretende lisura e transparência, essas vêm ao de cima e não há a mínima hipótese de saírem denegridas por falsas declarações e afirmações por parte de quem apenas vê o seu orgulho ferido e a sua índole serem, finalmente, postas a descoberto por quem de Direito.

 

A intenção de encabeçar uma lista com os nomes que a compõem foi ponderada e analisada, sempre em função dos interesses do Partido.

Não há aqui “saltimbancos”. Há pessoas que saíram, de cabeça muito erguida de outro partido político e que, ao serem convidadas para o PURP, se identificaram com a sua carta de princípios e as suas causas.

Estas pessoas estão, ao contrário do apregoado, de bem com o seu percurso político e de bem com o deixado para trás. O futuro é o que faz mover as gentes e é o que mantém o país em laboração permanente.

Entenderam estas pessoas não estarem a usurpar nada, uma vez que, ao serem filiados do PURP, poderiam ser candidatos a qualquer órgão como, de resto, todo e qualquer filiado.

Se o PURP fosse, como alguns o queriam fazer entender, propriedade privada, não teria tantos filiados e ficaria apenas com meia dúzia de proprietários. Ora, o Partido é de todos os filiados, de todos os que se identificam com as suas causas e de todos os que sabem o que significam as palavras “liberdade” e “democracia”.

O PURP não é uma família pautada pela consanguinidade, logo, não há lugar a heranças e nem a transmissão de cargos qual realeza. O PURP é um partido da democracia e da república em que qualquer filiado pode ser opositor a qualquer dos cargos, desde que para isso esteja dentro dos ditâmes dos Estatutos.

A presidência do PURP será mantida. Assim, Fernando Loureiro continuará a encabeçar os destinos do PURP. Para levar a cabo esta missão, agregou dois empresários de sucesso: Paulino Ângelo e Pedro Pinho. Para além das suas atividades profissionais, são pessoas com experiência em cargos de topo na vida política.

O que conta aqui é a experiência que trazem para o PURP e a vontade inegável de trabalhar. Quem assistiu ao IV Congresso, não precisou de muito para verificar a diferença face a outros ocorridos.

Diferença na forma de trabalhar e de encarar a política como algo digno e sério. Diferença no modo como se organiza um congresso, diferença no modo como se conduzem trabalhos.

Estes, entre outros, foram os novos membros chegados ao PURP.

Prometem trabalho, empenho e dignidade. Prometem justiça e educação no trato com todos os filiados.

Prometem inspeção e a responsabilização de quem causou danos, talvez de difícil reparação, ao Partido. Ao PURP não basta sê-lo, tem que parecê-lo!

Uma coisa é certa: o PURP é um Partido que se comportará como se deve comportar um Partido:

Deve ser um exemplo para a sociedade quer em termos de equidade e de justiça quer em termos de educação e de rigor.

 Não vivemos sós no mundo. Não podemos pedir aos vários elementos da sociedade que sejam exemplares, se agirmos de modo contrário e desviante das normas sociais e das regras da boa educação e de convivência. Vivemos juntos e isso designa-se por “vida em sociedade”.

Todos os órgãos estão preparados para o que aí vem. Vamos fazer crescer o PURP, vamos agilizar a sua representação a nível dos principais distritos do país. Vamos chamar ao PURP os que saíram e os novos que nos podem ajudar a defender as causas em que acreditamos!

Viva o PURP!

Todos pelo PURP. Todos por Portugal

 

Fernando Loureiro/ Paulino Ângelo/ Pedro Pinho

 

Comunicado aos filiados

Em junho de 2021, os purpenses foram chamados a escolher - em Congresso - os novos líderes do Partido.

Depois de muita celeuma, e de muitas atitudes indignas de quem se intitula dono do PURP, o Tribunal Constitucional veio dar razão ao Presidente Fernando Loureiro e reconhecer os novos órgãos dirigentes, sufragados pelo IV Congresso Nacional.

O Partido seguirá, agora, em frente com o intuito de o fazer crescer e de representar o que lhe está na génese sem, contudo - e como definido na Moção vencedora do Congresso - se esquecer de acompanhar os tempos e a necessidade de mudança.

Pretende-se que o PURP seja o Partido de todos os filiados, independentemente do seu número de inscrição. Um partido político não é uma quinta e nem um feudo, onde cada um se autointitula seu proprietário, impedindo todos os outros de participarem, de votarem e de se candidatarem aos lugares que entendam. Tudo dentro dos estatutos e da Lei. Assim é a democracia. Assim será o PURP.

Depois de ser impedido de participar nas eleições autárquicas, cuja data se avizinha, o Partido tem um caminho árduo e longo a percorrer, por forma a estar pronto para os combates que surgirão. É o que esta nova equipa de dirigentes pretende fazer:

Devolver credibilidade ao PURP e evitar a todo o custo que interesses privados se sobreponham ao crescimento e interesses dos purpenses e do Partido.

O PURP pode - e vai - crescer. Os filiados estarão todos no comando, porque nada será feito sem que os novos órgãos se sintam como representantes de todos os que construíram, constroem e construirão o PURP.

Um partido político não pode viver de questiúnculas particulares. Um partido nasce para defender os interesses do coletivo e só será um Partido, se assim o fizer.

Muito trabalho há pela frente. Muitas questões internas estão para resolver e serão resolvidas. Com paz, tranquilidade, elevação e competência, tudo será mais fácil.

Acabaram-se as comunicações ofensivas e caluniosas; acabaram-se os comunicados feitos em nome do Partido sem a devida aprovação. Acabou muita coisa que nunca deveria ter começado…E vai começar uma nova era.

Chegou a hora de começar a trabalhar. Chegou o tempo de catapultar o PURP para a cena política nacional.

 

VIVA O PURP!

 

TODOS PELO PURP. TODOS POR PORTUGAL.

 

Comunicado 25/9/2021

A disciplina de um Partido é importante para o seu crescimento e inerente desenvolvimento. O que é decidido, democraticamente, deve ser seguido por todos os filiados. Qualquer ideia contrária ao decidido pela maioria dos purpenses, deverá ser discutida internamente e não na praça pública. Da discussão nasce a luz. Contudo, em política, os assuntos internos têm espaço e tempo para serem debatidos: O PARTIDO.

Por isso, todas as redes sociais do Partido serão reivindicadas ou, se não forem cedidas as palavras-passe, encerradas junto das entidades competentes e dentro do espírito da Lei.

Ninguém deverá fazer publicações ou emitir opiniões em nome do PURP, sem que estas sejam as veiculadas pelo Partido.

A partir deste momento, serão feitas diligências, no sentido de recuperar as páginas existentes nas redes sociais, para que se uniformizem e transmitam os reais valores do PURP.

Caso não seja possível, essas serão encerradas compulsivamente e de acordo com a LEI.

É tempo de organização e de mudança. Só assim será possível sonhar com alguma representatividade na sociedade portuguesa. Afinal, foi para isso que o Partido foi criado, para defender interesses coletivos, para fazer intervenção política.

Vamos lutar pelos interesses dos nossos ex-combatentes, pensionistas, reformados e por todos os outros portugueses. Um país faz-se de todas as pessoas e de todas as gerações.

Não há combate vencedor sem estratégias definidas e delineadas. Não há vitória sem trabalho e empenho. Não há coletivo se apenas se pensar no próprio umbigo.

 

Vamos trabalhar!

 

Viva o PURP!

Presidente da República recebeu uma delegação do PURP

 

Presidente da República recebeu uma delegação do PURP

No passado dia 7 de Janeiro de 2019, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, em audiência no Palácio de Belém, uma delegação do Partido Unido dos Reformados e Pensionistas (PURP), liderada pelo Presidente do PURP, Fernando Loureiro.

A COMISSÃO POLITICA NACIONAL DO PURP, foi recebida em audiência, em Belém pelo Senhor Presidente da República, apresentando o Partido e também desejando um bom ano.

O PURP preocupado com os problemas que afligem os reformados/pensionistas/combatentes, jovens e toda a sociedade em geral, fez uma síntese por cada sector da sociedade e dando casos concretos e as politicas que ao longo dos anos tem alterado a vida de todos para pior.

Casos como a saúde que está no pior de sempre, a justiça que funciona a dois tempos e nunca igual para todos, o grave problema das reformas e pensões baixas o abandono dos idosos e deficientes, o problema também grave dos combatentes encontrando-se muitos em situação de sem-abrigo, os cuidadores, a falta de apoio à juventude à natalidade no interior para o seu povoamento e a retirada dos serviços bancários e correios das freguesias e sedes de concelho.

Por isso dissemos que é preciso politicas novas efetivas de desenvolvimento. Poderão no Futuro contar com o PURP para um combate eficaz ao flagelo da corrupção!